23/06/2015

Nossa História

Álbum:     Nossa História

Histórico do Bairro Jardim Bela Vista

O homem, em todos os tempos, sempre demostrou necessidade de ampliar horizontes já conhecidos, de procurar novas terras e aventurar-se.Assim, tudo que é importante para nossa vida, sempre dependia do trabalho das pessoas que nos cercam, formando uma comunidade.
Porto União é assim, uma comunidade, onde lutamos e trabalhamos para melhor viver, introduzimos hábitos e costumes de nossos antecedentes, vindo de terras longínquas.
E com sua expansão foi surgindo em Porto União novas comunidades, novos bairros e com isso o bairro JARDIM BELA VISTA que, no ano de 1925 foi fundado pelas famílias Matukoski, Nadolni, Bortoluzi e Slevinski, onde se dedicavam a agricultura, cultivando a terra, plantando milho, arroz, feijão, verduras e frutas.
No início da criação do bairro, os maiores problemas foram a falta de iluminação elétrica, má conservação da estrada, falta de meio de transporte,mercado, escola, igreja, pois as missas eram rezadas nas casas dos moradores, que na época não eram muitos.
A chegada do Frei Josué Selante na Paróquia de Porto União, foi um dos fatos marcantesno bairro Jardim Bela Vista, pois o mesmo motivou os morados para que  criassem  uma comissão que deveria orientar e dirigir os destinos da comunidade. Assim foi feito. Entre os morados foi eleita a primeira comissão,1º (primeiro) Presidente Sr. Evaldo de Lima, 1º (primeiro) Secretário Sr. Bento Farias, 1º (primeiro) Tesoureiro Sr. Segundo Elizeu Bortoluzze e outros que se comprometeram arregaçar as mangas, trabalhando em benefício da comunidade.
No ano de 1963, o senhor Rudi Porner, proprietário de uma grande área de terras, resolveu lotear parte delas, deste modo proporcionando o crescimento do bairro.
Em 1970, as famílias dos Senhores João Slewinski, André Nabor Giacomini. Segundo Eliseu Bortoluzi e Nelson Matukoski dedicavam-se à pecuária e à produção de leite. O leite produzido era distribuído para os Bairros Santa Rosa, São Pedro e para o Centro de Porto União. O transporte desta produção era feita a cavalo, de carroça e mais tarde, de carro.
Em 21 de novembro de 1973, o Senhor João Slewinski doou uma área de terra para a construção da Igreja, cuja padroeira é a Sagrada Família. Neste mesmo ano, foi inaugurado a capela, deixando-se de rezar missas nas casas dos moradores. Mais tarde, em 06 de abril de 1976, doou outra área de terra, desta vez para a construção da escola.
Com a chegada da energia elétrica, do transporte coletivo e após a grande enchente de 1983, um número elevado de famílias veio morar na localidade, que  passou a bairro .
Na época falava-se, além do português, o polonês, o italiano e o ucraniano. O italiano com as famílias Giacomini e Bortoluzze, Polonês com a família Slevinski e o ucraniano com  as famílias Matokoski, Levandoski e outros.
O catolicismo predominava na época da instalação do bairro e continua predominando até nos dias de hoje.
Havia uma única casa de comércio, de propriedade do Policial Militar Evaldo de Lima.  Denominava-se "Bodega" por ter pouco capital de giro. Os jovens reuniam-se nos finais de semana em outros bairros, Santa Rosa e São Pedro.
Atualmente, em franco desenvolvimento, o bairro possui uma Igreja com Salão de Festas, um Centro Comunitário com sede própria, um Núcleo de Educação, dois Supermercados, vários estabelecimentos de comércio, açougue e um campo de futebol com um salão de festas, tendo como proprietário a Família Giacomini. 
Dista da sede do Município apenas 5 km. Limita-se com as comunidades do Bairro Santa Rosa , Bairro São Pedro, Bairro Jardim São Bernardo do Campo, Conjunto São João Maria, Conjunto Porto União e Pintado.
Segundo o Senhor Rudi Porner, o nome Jardim Bela Vista originou-se porque o lugar era muito bonito e existia grande quantidade de flores e matas, o qual seus moradores admiravam muito.
O bairro Jardim Bela Vista é servido por ônibus da Empresa Piedade, que circula em vários horários e transporta passageiros para o Centro da cidade e vice-versa.

Colaboração: Bento Farias, Pedro Jorge de Lima, Hilário Luiz Babireski, Iria Giacomini e José Soares dos Santos.

Antiga instalação do Núcleo Educacional João Fernando Sobral

Os Primeiros Tempos

Moradores da Comunidade do Bairro Jardim Bela Vista, Porto União - SC, sentindo dificuldades de mandar seus filhos estudar na localidade mais próxima, no Bairro Santa Rosa, três km de distância, solicitaram para as autoridades locais, Prefeito e Secretário Municipal de Educação, a instalação de uma escola no Bairro. E foi atendendo ao pedido que, no dia 03 de março de 1976, o Senhor Secretário Municipal de Educação Sr. Luís Sérgio Buch, em reunião na Capela Sagrada Família deste Bairro com a Comunidade e demais autoridades, trataram sobre a instalação e construção da escola.
Em 10 de março do mesmo ano, as aulas iniciaram em turmas multisseriadas, tendo como sede a Capela Sagrada Família, cedida como empréstimo até a construção da escola. Neste 1º ano de funcionamento, isto é, 1976, contou com 76 alunos matriculados, de ambos os sexos, e tendo como Professoras as Senhoras Joenir Branco Olenik e Elza Edite Drosdoski.
Pelo Decreto Lei nº 257 de 28 de junho de 1977, assinado pelo então Prefeito Municipal de Porto União - SC Dr.Victor Buch Filho, foi criada a Escola Isolada Municipal Prof. João Fernando Sobral, determinando para todos os efeitos que o funcionamento da mesma deu-se à partir de 10 de março de 1976, com todos os dispositivos legais exigidos.
Em terreno doado pelo casal João e Rosina Sliwinski, primeiros moradores do bairro, foi construída a primeira ala da Escola. No dia 02 de Junho do ano de 1977, com a presença das autoridades locais, comunidade, professores e alunos inaugurou-se a referida Escola que, com o passar do tempo foi ampliada.
No ano da inauguração, o iminente professor JOÃO FERNANDO SOBRAL era presidente do LIONS INTERNACIONAL, razão pela qual, denominou-se este Estabelecimento de Ensino de João Fernando Sobral por iniciativa do leão Hilário Arthur Schaefer.
A edificação coube à Prefeitura Municipal de Porto União, com auxílio de convênio firmado com Lions clube de Porto União da Vitória. 


Segue o movimento referente a 1976, primeiro ano de funcionamento:

Matriculados
                                                                       1ª SÉRIE : 34 alunos
                                                                       2ª SÉRIE : 26 alunos
                                                                       3ª SÉRIE : 08 alunos
                                                                       4ª SÉRIE : 08 alunos

Aprovados
                                                                      1ª SÉRIE : 14 alunos
                                                                      2ª SÉRIE : 11 alunos
                                                                      3ª SÉRIE : 04 alunos
                                                                      4ª SÉRIE : 04 alunos

Reprovados
                                                                      1ª SÉRIE : 12 alunos
                                                                      2ª SÉRIE : 09 alunos
                                                                      3ª SÉRIE : 02 alunos
                                                                      4ª SÉRIE : 03 alunos

Transferidos
                                                                      1ª SÉRIE : 08 alunos
                                                                      2ª SÉRIE : 06 alunos
                                                                      3ª SÉRIE : 02 alunos
                                                                      4ª SÉRIE : 01 alunos




Pelo Decreto nº 288 de 05 de abril de 1988, assinado pelo então Prefeito Hilário Sander, transforma a escola em Grupo Escolar Jardim Bela Vista .
Com o franco desenvolvimento do bairro Jardim Bela Vista e o surgimento de mais três conjuntos habitacionais, Jardim São Bernardo do Campo, Conjunto São João Maria e Conjunto Porto União, os moradores do Jardim Bela Vista, liderados pelo então presidente do Conselho Comunitário Sr. Everaldo Canzone (In memorian), acreditando no crescimento de sua comunidade procuraram a Direção da escola para viabilizar a implantação do ensino de 1º grau, aspirando para seus descendentes, o fácil acesso ao término do referido 1º grau, sendo que assim os mesmos não precisariam sair da comunidade para continuar seus estudos.
E graças a luta desses moradores e à Direção, é que pelo Decreto n.º 034 de 13 de junho de 1989, a Escola transforma-se em CENTRO INTEGRADO MUNICIPAL DE 1º GRAU PROF. JOÃO FERNANDO SOBRAL, oferecendo vagas do Pré- Escolar à 8ª série. Implanta-se gradativamente, iniciando suas aulas no dia 15 fevereiro de 1990 com a 5ª série, funcionando em período integral: pela manhã núcleo comum e a tarde o Projeto Experiências Pedagógicas, acompanhando a criança num processo de desenvolvimento tanto no campo afetivo, como psico-sócio-cultural através de atividades desenvolvidas em oficinas: do saber, ler, lazer, arte e música, esportes, agrícola, trabalho e treinamentos, com fins de produção e aquisição de novos conhecimentos.
Desde o início do funcionamento da escola a população do bairro foi participativa e, até hoje, nota-se o seu envolvimento em todas as promoções.
Pode-se dizer com certeza que a escola é fator de identificação para a população: nela se realizam campanhas de vacinação, festas cívicas, eleições, promoções sociais e eventos culturais. A escola é a principal referência do bairro juntamente com a Capela Sagrada Família, situada ao lado.
O Núcleo Educacional Prof. João Fernando Sobral, conta atualmente com 480 alunos, 28 Professores ,sendo eles 25 efetivos, 4 contratados , todos com curso superior e a maioria com pós-graduação, uma Bibliotecária e na parte administrativa uma Diretora, uma Secretária, uma Agente Administrativa, duas supervisoras, uma Orientadora Educacional, uma Merendeira e três Agentes de Serviços Gerais.
Sabe-se, que um dos grandes problemas da Escola Brasileira, é a evasão escolar. São muitas as crianças e adolescentes que ficam à margem da vida, com sonhos de um dia ser "grande", de um dia ser alguém que ajudará na construção de um mundo mais humano, mais fraterno, mais cheio e vida e mais feliz. Cônscios dessa problemática, todos os profissionais que trabalham nesta escola têm se empenhado em deixar a evasão índices baixíssimos, 7%. Para isso, desenvolve atividades pedagógicas diversificadas, onde é valorizado tudo o que a criança faz, permitindo-lhe o desenvolvimento integral de todos as suas potencialidades.
Muito do que é proposto nos modernos Parâmetros Curriculares Nacionais, do Ministério da Educação e Cultura, sempre foi realidade nesta escola, tais como: dar relevância à cultura local, levar pessoas da comunidade a cooperar com a educação, não deixar de lado os valores humanos, desenvolver o senso crítico e preparar o cidadão que participe no bem comum.
Acreditamos que para formar o modelo de cidadão para o "aqui e agora" da sociedade brasileira, precisamos oferecer ao aluno meios para que possa desenvolver-se e aprender de modo a elevá-lo socialmente discernindo como usar as possibilidades e vencer as dificuldades do meio.
Para isso é fundamental a integração Escola-Aluno-Família-Comunidade, conscientizando cada qual de suas responsabilidades no processo ensino-aprendizagem.

Espaço dos Homenageados

Justificamos a escolha do Patrono e Homenageados pelo Núcleo, demonstrando assim, a cosmovisão dos primeiros educadores, isto é, sua ideologia voltada aos ideais de vida intelectual e de participação comunitária.
Patrono da Escola e demais homenageados eram, e continuam sendo, exemplos de vida para toda a comunidade escolar que, de certa forma, como eles, se sente comprometida com o progresso da cidade e da região.
Serão enfocados: o nome da Escola, o Centro Cívico Escolar e o doador do terreno.

JOÃO FERNANDO SOBRAL
Patrono da Escola

O Professor JOÃO FERNANDO SOBRAL é economista, formado pela faculdade de Economia, Finanças e Administração de São Paulo, primeiro classificado em sua turma e orador oficial na solenidade de formatura. Possui cursos realizados através de bolsa de estudos do Departamento de Estado nos Estados Unidos, na University Of The New York. É ainda formado em Administração Escolar pelo Instituto Pedagógico de Ensino Industrial, é igualmente formado em Administração Econômica. Entre outros cursos, possui o de Doutrina de Segurança Nacional pela Associação dos Diplomatas da Escola Superior de Guerra. Seu registro junto ao Conselho Regional dos Economistas Profissionais II Região foi feito sob o n.º 1067.
É Professor aposentado das escolas: Escola Técnica Getúlio Vargas e Escola Técnica Federal de São Paulo. Foi  Professor da Faculdade de Economia, Finanças e Administração de São Paulo e assistente de Departamento de Economia da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Foi por diversos anos, membro relator do Seminário de Relações Nacionais e Internacionais da Escola de Sociologia e Política de São Paulo /USP.
É Diretor-Presidente da Indústria e Comércio Sobral S.A. É casado com Elba Nobrega Sobral, tendo quatro filhos. João Fernando Sobral foi eleito Presidente Internacional da Associação LIONS CLUBE na 59ª Convenção Internacional realizada em Honolulu, Havaí, nos Estados Unidos em 1976, foi o primeiro brasileiro e o segundo Sul-Americano a ser eleito a essa alta função. Em 1977 encerrou o seu mandato e assumiu as funções de ex-presidente imediato com assento e voto na diretoria da entidade.  

Patrono João Fernando Sobral

Emílio Taboada Diez
Patrono do Centro Cívico Escolar

Emílio Taboada Diez, Pai da Música do Vale do Iguaçu. Nasceu em 08 de maio de 1888, em Orense, na Espanha. Formado músico, estudando à noite no Conservatório de Orense, aos 19 anos de idade, em 1907. Aportou no Rio de Janeiro e logo veio para Porto União da Vitória.
Trabalhou em várias profissões como: alfaiate, na estrada de ferro. Em 1913 casou com a Senhora Adelina González do qual casamento tiveram uma filha. Muitas pessoas tiveram a grata oportunidade de ver a BANDA LIRA DO IGUAÇU.
Durante mais de 40 anos de serviço público, dedicou-se nos mais diversos campos ao povo de Porto União da Vitória, tornando-se  merecedor dos mais sinceros agradecimentos e reconhecimentos pelo seu feito. Faleceu no dia 10 de junho de 1977.

João Sliwinski
Doador do Terreno

De acordo com suas palavras, no início da formação do Bairro Jardim Bela Vista, existiam muitos problemas, e um deles para quem tinha filhos em idade escolar, era mandá-los para a escola mais próxima, que ficava cerca de três quilômetros de distância. E como já havia doado uma área de terra para a construção da  Capela, que também não existia, foi procurado pelo então Prefeito Municipal de Porto União Sr. Alexandre Passos Puzina (In memorian) o qual solicitou a doação de mais uma área de terra  para a construção da Escola  e, de acordo com sua visão, teria que ser uma área maior porque o bairro estava em crescimento e uma escola pequena mais tarde não comportaria todos os alunos. Sensibilizou-se pelo pedido e fez a doação, porque seria um benefício para a comunidade, para o seu crescimento e dos futuros cidadãos que nela desfrutariam o saber. "Sinto-me feliz de ter feito estas doações de terra, pois os meus filhos tiveram acesso à igreja e à escola e, pelo passar dos anos, vi tantas crianças e jovens aproveitarem  os seus ensinamentos para se tornarem pessoas melhores nesta vida".

Diretora Isabel Caznok

Filha de Estefano e Catarina, natural de União da Vitória. Estudou no externato Santa Terezinha o primário, 5ª a 8ª série no colégio Estadual Túlio de França, 2º grau no curso de magistério do Colégio Professora Amazília e FAFI no curso  de história.
Iniciou a vida profissional no ano de 1975 trabalhando na Escola Isolada M. Dr. Victor Buch Filho na localidade de Britador Km 13 onde trabalhou com a primeira série.
No ano de 1978 foi transferida para a Escola Isolada M. Prof. João Fernando Sobral onde trabalhou com a primeira séries. No ano de 1983 assumiu a direção da escola permanecendo até os dias atuais. No decorrer deste ano, nas conquistas, nas melhorias e nas dificuldades, sempre teve colegas de trabalho, pais de alunos que ajudaram a acreditar que juntos, poderiam fazer um bom trabalho para o desenvolvimento e o bem estar da escola. 
"É maravilhoso ver, nos dias atuais, uma escola de qualidade. Acredito que somente através da educação é possível formar cidadãos socialmente responsáveis e capazes de mudar a realidade de nossa volta. Todos estamos matriculados na escola onde o mestre é o tempo. É gratificante e sinto-me feliz em ter dedicado os meus 30 anos de magistério no C. I. M. João Fernando Sobral.
No decorrer destes anos, guardarei ótimas lembranças dos meus colegas de trabalho e dos alunos, não citarei nomes, mas ficará na minha lembrança com carinho e respeito, pois todos somos estrela que brilhamos umas mais outras menos mas todas brilham no  universo em que vivemos."

Diretora Isabel Caznok ao lado do Patrono

 Organograma Educacional

O Organograma da escola mostra as ligações formais e informais do âmbito escolar envolvendo a escola, o aluno, a família e a comunidade. O Organograma mostra que a ação educativa, tem como princípio e fim, o aluno.
Vê-se que para o ALUNO partem as ações da Direção, Secretaria, Orientação Educacional, Professores, Inspetor de aluno, Merendeira e Serviços Gerais.
O Corpo Docente, bem como o pessoal técnico administrativo, elaborou o Projeto Político Pedagógico para nortear as ações da Escola, traçando metas para alcançar a eficiência da escola e o sucesso dos alunos.
Nota-se também que a escola busca na comunidade o apoio para suprir necessidade e que as atividades formadas da comunidade auxiliam no desenvolvimento do ensino. São elas: O CONSELHO DE PAIS E PROFESSORES (C.P.P.), CONSELHO COMUNITÁRIO ESCOLAR (C.C.E.), PASTORAL DA SAÚDE, IGREJA .
Sendo que queremos uma escola diferente, que resolva realmente os problemas desta realidade, decidiu-se por uma gestão participativa, com a presença da comunidade na escola que é uma constante: os pais participam realmente das decisões e dos trabalhos.
Contamos com a C.P.P. (Conselho de Pais e Professores) que constitui um elo oficial com os demais segmentos da sociedade.
Também há o Conselho Comunitário Escolar, criado com finalidade de prestar ajuda a todos os segmentos da escola .Participa de todas as atividades, na prestação de serviços e atendendo a qualquer solicitação. Assessora a Direção do Estabelecimento na solução de problemas surgidos, na elaboração e execução das diretrizes, metas gerais do estabelecimento bem como, o planejamento  das atividades didáticas-pedagógicas.
O CENTRO CÍVICO ESCOLAR tem por nome EMÍLIO TABOADA DIEZ sendo seus componentes alunos da 5º a 8º série. Seu objetivo principal é levar os alunos a reconhecer valores e práticas da cidadania em tarefas como comemorações cívicas, promoções e campanhas.
Outra atividade deste Estabelecimento de Ensino é o SERVIÇO de ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL.
Este serviço visa estreitar os laços Professor-Aluno, promovendo e colaborando em campanhas EDUCACIONAIS no âmbito do Estabelecimento ou fora deste. No sentido mais amplo de serviço de ORIENTAÇÃO EDUCACIONAL VISA UNIFICAR O PENSAMENTO DE ALUNO, ESCOLA E FAMÍLIA, procurando melhor desempenho do aluno no processo ensino aprendizagem, promovendo o ajustamento do aluno no estabelecimento de ensino com a cooperação da família.
A escola possui um REGIMENTO INTERNO ESCOLAR aprovado pelo Conselho Estadual de Educação, que atende as aspirações de todos, completamente aberto ao conhecimento da própria comunidade e do aluno, tendo visto que a comunidade foi envolvida nos estudos.
Por solicitação dos próprios alunos, foi elaborado um FOLHETO INFORMATIVO com a finalidade de prestar a todos os professores, pais e alunos, a esclarecimentos necessários para que harmoniosamente ao estabeleça um perfeito entrosamento e comprometimento entre Escola e Comunidade, portanto todos os alunos e familiares tem acesso ao mesmo.
No início de cada ano é feito um trabalho de estudos de esclarecimento deste Folheto Informativo envolvendo os professores de todas as disciplinas e os alunos em sala de aula com orientação da Orientadora Educacional e Direção e após é entregue as famílias dos alunos devidamente matriculados neste estabelecimento de ensino. Com isso, temos uma escola com baixo índice de REPROVAÇÃO, igualmente pequena a EVASÃO ESCOLAR, casos de indisciplina praticamente inexistente.
E por pensarmos que a Escola é fundamental para a formação do cidadão, concordamos com VIGOTSKY que a valoriza muito, pois diz que a educação escolar faz as aprendizagens de maneira formal e sistemática.
Por isso nossa escola estimula os alunos a serem solucionares de problemas e o modo que encontramos é oferecer situações problemas em PROJETOS ESPECÍFICOS. Isto porque cada projeto tem metas claras a serem atingidas.


Motos e Bicicletas

Motos e Bicicletas
(42) 3523-4108

Blogs

Postagens populares